Morro do Minchetti 02 novas vias de escalada

Mais duas opções de escalada em Jacarepaguá, no local conhecido como morro do Minchetti, atualmente este setor possui apenas uma via de escalada chamada Inferno de Dante conquistada em março de 2009.

Acordei como de costume às 06:00 da manhã com uma idéia fixa abrir uma nova via de escalada, até então nada de novo…mas resolvi partir para jacarépagua sozinho e conquistar em auto – segurança. Sai de casa 11:20 da manhã com o objetivo de explorar um pouco mais aquela região tão bonita e pouquíssimo freqüentada….. na última vez que estive por lá em março de 2009 conquistando a via Inferno de Dante, a impressão do local não foi das melhores, o calor era insuportável, haviam muitos carrapatos ……. dessa vez dia 30 de outubro de 2009 acreditava que não seria nada muito diferente…. mas mesmo assim segui adiante carreguei a furadeira, grampos , marreta, enfim mochila pronta, arrumei o carro e parti para zona Oeste do RJ, após percorrer 37 Km chego ao meu destino, no local conhecido na região como Ilha do Sapo, ao estacionar o carro descubro através do irmão do Sr. Dino que o acesso à trilha está temporariamente fechado, então tenho que seguir por outro caminho; início a caminhada por uma estrada de terra e ao meu redor apenas floresta e o som da mata, sigo por uns 20 minutos, até chegar no início da trilha à direita bem ao final da estrada desço em direção a um riacho de água bem transparente, a qual tenho que atravessá-lo e continuar por um caminho à esquerda, e logo em seguida saio dessa trilha novamente à esquerda e ando em direção a parede ao chegar bem próximo tenho que atravessar um capinzal que me cobria por completo…..vou passando do jeito que dá , empurrando daqui e dali e me segurando em algumas pedras até chegar na base.

Não perco tempo começo a me equipar, e em seguida já estou escalando e avançando em direção ao meio da parede, continuo conquistando, colocando alguns grampos, tentando racioná-los pois o objetivo é chegar ao cume naquele mesmo dia, a medida que vou escalando a rocha se mostra mais vertical, porém sou agraciado com o tamanho das agarras que me facilitam a subida, até chegar num trecho onde a pedra fica bem vertical, e percebo que havia chegado ao crux, não penso 02 vezes mentalizo o traçado me concentro e sigo em frente e para minha surpresa uma sequência de agarras bem interessantes em seguida coloco mais um grampo, me soltero, e  monto o rapel em corda única e desço para recuperar os equipos abaixo para poder dar continuidade a via, olho pra cima e o final já está próximo coloco mais 02 grampos e chego ao cume feliz da vida; já cansado comemoro, soltando alguns gritos fracos a voz parece não querer sair ….. em vão….nada de resposta…. não mora ninguém por ali…..ainda cansado  faço a parada em uma árvore bem robusta, agora são aproximadamente 18:30 da tarde fico ainda um bom tempo lá em cima admirando à vista e pensando sobre a escalada e na sorte de poder ainda no meio de semana em pleno Rio de Janeiro fazer uma conquista tão legal, num local afastado de toda confusão da cidade grande….

Quando resolvo descer já são 19:00 começo a rapelar e recolher todo o equipo que ficou espalhado pela via, chego na base às 19:20 arrumo tudo e sigo pela trilha e a estrada de terra durante à noite em direção ao carro, chegando em casa por volta das 21:20.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *